A gestação


Desde que criei o blog, venho me enrolando para falar sobre a minha gestação, talvez porque esse assunto ainda me abala profundamente, talvez porque cada vez que falo sobre isso sinto a aflição e a ansiedade daqueles meses novamente percorrendo meu corpo.

A minha gestação não foi nada fácil, muito pelo contrário, foram meses intensos e muito difíceis, mas que valeram cada segundo.

Com 5 semanas de gestação comecei a passar muito mal, azia constante e enjoo quase todos os dias. Tinha também o receio de perder novamente, que me acompanhou até as 12 semanas.

Segui passando mal por aproximadamente 37 semanas e 4 dias, quando o Nicolas nasceu, era um mal estar 24 horas do meu dia e a mesma coisa que eu comia em um dia no dia seguinte já não dava certo.

No inicio emagreci 4 kilos e meio porque nada parava no estômago e até o final da gestação recuperei esses 4 kilos e meio e engordei mais 4 e meio.


Aqui estava com 31 semanas

Com 18 semanas descobrimos que esperávamos um menino e com 23 semanas fui fazer o segundo morfológico.

Nesse exame nosso menino foi diagnosticado com pé torto congênito, minha sensação foi como se no mundo tivesse sido cavado um buraco e eu estava lá dentro, só sabia chorar.

O médico pediu para voltarmos lá daqui a 3 dias para confirmar o diagnóstico. Voltamos e tivemos a confirmação, a partir de lá a ideia seria continuar acompanhando mais de perto e afastar que fosse qualquer síndrome, pois o pé torto congênito pode estar associado a diversas síndromes.

Passamos por no mínimo 4 médicos e todos eles confirmaram o pé torto congênito bilateral, um deles conforme eu perguntava foi até bem duro comigo, deixando claro que meu filho iria nascer assim, que não tinha o que fazer.

O que era pior ainda é que ninguém me dava certeza absoluta de que não era nenhuma síndrome.

Algumas pessoas são muito sem noção e me falavam que isso só estava acontecendo porque eu sou pequena, então em outras palavras que a culpa era minha.


Com 5 meses comecei a ter contrações e passei a tomar dois inibidores de contração por dia.

Com 35 semanas fui fazer o acompanhamento, tinha uma diminuição do liquido e no cardiotoco os batimentos do Nicolas não estavam tão bons, então eu voltava todos os dias pra acompanhar o coraçãozinho dele.

Como era bem provável que ele nascesse antes de 38 semanas fui recomendada pelo meu médico a tomar corticoides pra maturar o pulmão.

Em um desses dias quase fiquei internada pra acompanhar de perto, mas passadas algumas horas fui liberada.

Já tínhamos decidido que ele nasceria de cesária porque não queria colocar ele em um esforço desnecessário, porém para mim era importante que ele quisesse nascer, que fosse o momento que ele escolhesse e não eu.

E ai com 37 semanas e 4 dias, a 1:30 da manhã minha bolsa estourou e eu explodia de alegria, porque ele estava chegando na hora dele.

Foi feita a cesária conforme planejado e ele nasceu as 3:20am, pesando 2.600kg e com 48cm.

No nascimento já foi descartado o pé torto congênito, tudo era apenas da posição e também foi descartado qualquer problema no coração.

Quero deixar aqui claro, que em nenhum momento eu acho que foi erro médico o diagnóstico do Nicolas, porque em todos os exames ele realmente, se encontrava com os pés pra dentro sugerindo deformidade óssea.

O nascimento dele foi o dia mais feliz da minha vida e a emoção desse dia nunca vou esquecer, mas os detalhes conto num próximo post.

  • Instagram
  • Facebook ícone social

© Copyright – 2018 Materhood.     Todos os direitos reservados.