Coronavírus

Nossos dias pedem isolamento social – mas, por quê? E para que?

O vírus que está circulando tem transmissão altíssima e pode matar – ok, talvez não mate você, mas pode matar seu pai, avó ou qualquer ente querido. Então, o que nos resta fazer é o total afastamento social. E isso inclui ficar em casa e não ver ninguém (até mesmo parentes), não combinar reuniões (nem dentro e nem fora de casa) e suspender eventos (como aniversários, por exemplo) até segunda ordem.

Entenda o seguinte: se o vírus não te vê, ele não te pega. E assim você não transmite para mais ninguém. Simples assim! Diminuir o contágio é a ação mais importante no momento. Precisamos e devemos cumprir isso, por nós, pela nossa família e por todas as outras. Isso é empatia e respeito ao próximo!

Sei que não é fácil ficar trancado dentro de casa, ainda mais com as crianças transbordando energia. Mas se nós não pudermos fazer isto, que é o mínimo, não podemos fazer mais nada. Coloque a mão na consciência e #fiqueemcasa. Use a criatividade para pensar brincadeiras interessantes, procure na internet, peça dicas às amigas e mães dos coleguinhas. Envolva seu filho nas atividades que você necessita fazer, eleja-o como seu ajudante. Por exemplo: ao cozinhar, dê pequenas funções para seu pequeno sous-chef. Eles adoram a experiência e, ocupados e à nossa vista, fica muito mais fácil fazermos as coisas necessárias.

Outro ponto importante: não subestime o entendimento do seu filho. Explique da forma mais didática possível a situação que estamos vivendo (tem muitos exemplos na internet), tenha horários definidos para seu trabalho e momentos para se dedicar exclusivamente para ele.

Todo esse trabalho é difícil, mas muito necessário: se todos ajudarmos agora, logo voltaremos a ter nossa rotina, e se não colaborarmos, isso pode durar longos meses.

Que todos nós tenhamos uma ótima e leve quarentena, e sabedoria para passar por esse período de forma honrosa.


Texto escrito em 19/03/2020



mamâe e bebê

Sou a mãe do Nicolas, não tem nada que me descreva melhor do que isso. Sou também fisioterapeuta, especialista em neurologia e instrutora de pilates.

Hoje em dia sou mãe em período integral, tenho ele comigo 24 horas por dia, ele me acompanha em todas as minhas outras funções, que são administrar um estúdio de pilates, o Studio KaPri e ser fisioterapeuta, minha outra grande paixão. 

© Copyright – 2018 Materhood.     Todos os direitos reservados.