mamâe e bebê

Sou a mãe do Nicolas, não tem nada que me descreva melhor do que isso. Sou também fisioterapeuta, especialista em neurologia e instrutora de pilates.

Hoje em dia sou mãe em período integral, tenho ele comigo 24 horas por dia, ele me acompanha em todas as minhas outras funções, que são administrar um estúdio de pilates, o Studio KaPri e ser fisioterapeuta, minha outra grande paixão. 

© Copyright – 2018 Materhood.     Todos os direitos reservados.

Dicas para tentantes

quero engravidar o que fazer? - Dicas pelo Dr. Vinicius Moura


1) INTERROMPER MÉTODOS CONTRACEPTIVOS –

Alguns métodos contraceptivos não interferem com a ovulação. Portanto, assim que interrompidos, a mulher já se encontra apta à engravidar. Dentre eles temos: os preservativos masculino e feminino, o diafragma, os DIUs e o planejamento familiar natural. Já os métodos hormonais como as pílulas, injeções, adesivos, anéis vaginais e implantes podem trazer períodos anovulatórios (ausência de ovulação). Esses períodos podem variar de poucos meses até um ano e meio em média.


2) TER RELAÇÕES SEXUAIS COM FREQUÊNCIA E EM MOMENTOS OPORTUNOS –

Um óvulo mantém-se viável no organismo feminino por um período aproximado de 48 à 72 horas. Pensando num ciclo de aproximadamente 28 à 32 dias, pode-se dizer que temos uma chance um pouco maior que 10% para acertar o momento oportuno. Ter relações no dia da ovulação ou nos dias que a antecedem aumentam as chances de engravidar. A tabelinha é um ótimo método para calcular o dia fértil mas requer um conhecimento prévio do número de dias de pelo menos 6 ciclos menstruais e domínio do método de cálculo da mesma. Hoje em dia já existe, nas farmácias, testes semelhantes aos testes de gravidez, que detectam a ovulação.


3) TOMAR ÁCIDO FÓLICO -

O ácido fólico evita os defeitos do fechamento do tubo neural, estrutura que dará origem ao cérebro e à medula espinhal. Podem apresentar-se na forma de anencefalia até a espinha bífida, dependendo da porção do tubo que apresentar o defeito. De acordo com o Ministério da Saúde, o ácido fólico, como suplemento é recomendado para toda mulher em idade fértil. Porém, no dia-a-dia, isto não é uma prática comum. Por isso, recomendamos que se inicie o uso de 400 microgramas (0,4 mg) de ácido fólico por pelo menos 3 à 4 meses antes de engravidar e que essa dose continue até o fim do primeiro trimestre de gravidez. Sua forma natural é muito encontrada em folhas verde escuras, como couve, brócolis e espinafre, porém é mal absorvido pelo organismo. Por este motivo, orientamos a suplementação.


4) COMER SAUDÁVEL E PRATICAR ATIVIDADES FÍSICAS –

Comer de forma saudável e praticar atividades físicas talvez seja o melhor conselho para qualquer fase da vida. Uma alimentação saudável e a prática rotineira de atividades físicas mantém o peso estável e incrementa níveis de extremo bem estar e boas energias. Melhora o humor, reduz o stress e a depressão e ainda minimizará dores que a gravidez pode trazer pelas alterações corporais que lhe são peculiares. Ter refeições regulares e equilibradas, com muitas frutas e legumes frescos, eliminar alimentos processados e fast food são as melhores maneiras de garantir uma gestação livre de doenças como a pressão alta (hipertensão), pré-eclâmpsia e o diabetes. Inclua em suas refeições:

· Carboidratos: de preferência os oriundos de massas ou grãos integrais.

· Frutas e vegetais: pelo menos 5 porções por dia. Use a criatividade... quanto mais colorido melhor. Frutas como a manga e a maçã verde e, as secas como, nozes picada dão um sabor super especial às folhas. Cebola roxa combina muito com molhos agridoces tais como honey mustard ou uma mistura de vinagre (ou limão) com melado de cana... Não tenha medo de experimentar. Garanto que não vai se arrepender!!! Obs: essas opções são facilmente encontradas em mercados, empórios e hortifrútis.

· Proteínas: presente em carnes, peixe, ovos, legumes e feijões.

· Leite e derivados: fonte de cálcio, importante para o desenvolvimento dos ossos. Contribui também para um bom controle da pressão arterial.

· Gordura: de preferência de origem vegetal como o azeite de oliva ou peixes como o salmão, sardinha, truta, atum, cavalinha, anchova e arenque (peixes de águas muito frias, ricos em ômega 3 – importante para o desenvolvimento cognitivo do futuro bebê).


5) EVITAR!!! EVITAR!!! EVITAR!!! –

· Fumo, álcool e drogas ilícitas: acho que não é preciso dizer muito sobre os efeitos destas substâncias durante a gravidez. Já conhecemos bem as consequências: abortamentos, mal formações fetais, prematuridade, descolamento prematuro de placenta, restrição do crescimento fetal, doença hipertensiva e pré-eclâmpsia, morte fetal. Aqui, vou me ater às consequências ao CASAL (homem e mulher) ainda não grávido. Muitas destas substâncias podem piorar significativamente a qualidade e quantidade dos espermatozoides, qualidade dos óvulos e funcionamento das trompas uterinas, podendo culminar com os problemas já citados anteriormente, além do risco de gravidez ectópica tubária (gravidez nas trompas) e infertilidade.

· Ovos, carnes ou frutos do mar quando crus ou mal cozidos podem conter salmonela ou outros organismos que podem levar à uma intoxicação alimentar.

· Produtos lácteos não pasteurizados, fígado ou derivados e sobras de alimentos podem conter Listeria, uma bactéria que pode ser responsável por abortamentos espontâneos ou pela morte fetal. O fígado e seus derivados também podem ser fonte extremamente rica de vitamina A, esta que, em excesso, pode trazer danos, principalmente à visão do recém nascido.

· Suplementos vitamínicos, por incrível que pareça, como dito anteriormente no caso da vitamina A, em excesso, assim como na deficiência, podem causar problemas extremamente graves ao bebê em desenvolvimento e recém nascido. Não tome nada que não for de conhecimento e liberado pelo seu médico obstetra... nem vitaminas!!!

· Medicamentos: não tome nada que não for de conhecimento do teu médico. Até uma simples aspirina (dependendo da dose) ou descongestionante nasal podem trazer prejuízos à gravidez.

· Vacinas: esteja em dia com suas vacinas. Elas são de extrema importância. Algumas como a da rubéola e a do sarampo devem ser tomadas previamente mas necessitam de um período de pelo menos 3 meses de intervalo para tentar engravidar. Evite por todos os meios engravidar em intervalos menores que estes.

· TOXOPLASMOSE: doença grave com sérias repercussões sobre a formação do feto, podendo causar até sua morte. Transmitida através das fezes de felinos domésticos que pode contaminar vegetais e legumes. E, estes, por sua vez, levar o agente causador da doença aos seres humanos e animais dos quais nos alimentamos (principalmente bovinos e suínos). Por este motivo, devemos higienizar muito bem os alimentos que consumimos crus e com cascas (verduras e legumes). As carnes podem ser consumidas desde que estejam muito bem cozidas. Use luvas ao esvaziar caixas de areias de gatos ou quando praticar jardinagem. Após, sempre lave muito bem as mãos com água e sabão e, se possível, use álcool em gel.


6) CUIDE BEM DA TUA VAGINA -

Tome cuidados e crie hábitos para que a vagina se torne um ambiente saudável para receber os tão esperados espermatozoides. Lembre-se!!! Tudo começa aqui...

Não faça duchas internas. A vagina não foi feita para ser lavada por dentro. Nela, existem algumas bactérias que produzem substâncias essenciais para “manter a casinha em ordem”. O uso de duchas vaginais retira esta proteção e dá chances a outras bactérias se proliferarem. Isso muda o pH vaginal que é ácido e favorece o aparecimento de bactérias que causam os famosos e incomodativos corrimentos. Além disso, a mudança do pH vaginal pode diminuir as chances de sobrevivência dos espermatozoides.

Aproveitando que falamos em sobrevivência dos espermatozoides, evite lubrificantes vaginais e truques eróticos com substâncias nocivas a eles. Em caso de secura vaginal, use os que forem de base aquosa. Verifique se o lubrificante não é espermicida ou tóxico ao mesmo.


7) CUIDE BEM DOS TEUS TESTÍCULOS –

Provavelmente seu parceiro não irá ler toda esta matéria. Portanto irei resumir aqui os cuidado voltados a ele.

· Hábitos saudáveis: boa alimentação, atividade física, parar de fumar e de beber (ou pelo menos, reduzir) interferem diretamente na qualidade e quantidade dos espermatozoides.

· Manter os testículos em temperatura mais frescas: usar roupas íntimas soltas e de material não sintético, evitar banhos muito quentes e prolongados, como exemplo, banheiras e saunas, e não usar eletrônicos diretamente sobre o colo. Todas estas medidas evitam o aquecimento constante e prolongado dos testículos que também pode interferir na quantidade e qualidade dos espermatozoides.

Seguindo estas dicas, acredito que vocês terão ótimas chances de sucesso.

Se mesmo assim, não conseguirem, procurem (O CASAL) o médico de sua confiança para realização de exames para afastar algumas doenças ou, em caso de encontrar alguma, iniciar tratamento adequado.

Espero que possa ter contribuído. Até a próxima matéria...


Dr. Vinicius Moura é ginecologista e obstetra, trabalha atualmente no Hospital São Luiz e atende em clinica particular em endereço próximo ao hospital. Extremamente humano e profissional, nós o conhecemos através de um relato de caso da mamãe Talita e desde então se tornou uma fonte de esclarecimentos de dúvidas e apoio do nosso blog.