Impacto dos eletrônicos nas crianças

Atualizado: Jul 1

Os eletrônicos fazem parte do nosso dia a dia, vivemos conectadas, eu por exemplo trabalho usando eletrônicos o tempo todo, mas o que essa exposição precoce pode causar nos nossos filhos?


Nunca fui muito fã de TV, quando o Nicolas nasceu diminui ainda mais o quanto assistia dela. O silêncio não me incomodava, nunca precisei deixar ela ligada só pelo barulho no ambiente. Sempre tivemos regras claras sobre o uso de telas com o Nicolas, ele podia em horários restritos (bem restritos).


Eis que chega a nossa amiga, pandemia, e essa pessoa aqui que vos fala estava no final de gestação, com um total de zero energia para brincar e entreter essa criança e aí a tv virou a melhor bengala que podia existir, o Nicolas passou a assistir tv durante TODA a manhã, a Patrulha canina já estava tomando café da manhã conosco e eu pude perceber no meu filho as alterações que o excesso de eletrônico pode fazer.


O problema do eletrônico na primeira infância é porque ele te dá o mundo pronto, você não precisa criar, pensar ou inventar nada, está tudo ali. O tipo de ruído que sai da televisão é diferente da conversa entre as pessoas e modifica o aparelho auditivo dos pequenos, além das modificações na visão que podem acontecer. Os prejuízos são gigantes e já conhecidos, tanto que a Sociedade Brasileira de Pediatria recomenda evitar o uso de telas até os dois anos e dos dois aos cinco anos tempo máximo de exposição, de 1 hora por dia.


Mas acredite, eu te entendo quando é mais fácil ligar o desenho do que entreter aquele pequeno serzinho pedindo por atenção. E por isso te falo, é muiiiito mais fácil ficar sem eles do que com. Pode parecer mais fácil num primeiro momento, mas a longo prazo deixa os nossos pequenos com ainda mais dificuldade de se entreter sozinho, de aceitar o tédio, torna eles super necessitados da nossa presença e de brincadeiras guiadas, mas o que mais me chocou e fez com que eu abolisse totalmente a TV nos dias de semana, foi saber que as telas causam efeitos similares, no nosso cérebro, do que o uso de drogas como COCAÍNA por exemplo, tem noção que pesado isso! Tanto que recomendam diminuir em doses homeopáticas por causa da dependência gerada pela tela.


Meu filho mais velho tem 3 anos e a partir do momento que criamos regras claras com a TV e a rotina, ele passou a se entreter, brincar muiiiito melhor sozinho e inclusive passou a dormir melhor.

Juro que é possível (e na minha opinião até mais fácil) ficar sem telas; eu tenho dois filhos, um deles chegou em meio a pandemia e foi muiiito mais fácil não ter a tv do que tê-la em determinados momentos, o mais velho foi desde sempre meu ajudante especial e se sente útil e importante.


O desenho na minha casa é proibido? Não, não é, aos finais de semana ele assiste meia hora de desenho (que nós guiamos) e está tudo bem, a regra é sempre a mesma e ele entende e aceita. O maravilhoso dessa idade que está o meu mais velho (3 anos) é que eles questionam e querem entender tudo, um dia ele me perguntou porque na nossa casa a gente não assistia desenho todos os dias e eu pude explicar pra ele (de maneira simples e clara) que assistir todos os dias não faz bem pra gente, que é melhor aproveitarmos o tempo para brincar, ler.


Vai ser sempre assim? claro que não, mas no momento assim está ótimo pra nossa família, encontramos um jeito que funciona e nos faz bem e quando julgarmos necessário trocamos de novo.


Como é na sua casa? sente que a tv te ajuda quando quer fazer alguma coisa, por exemplo cozinhar ou não?