O papel dos avós para nossos filhos


Tanto eu quanto meu marido somos muito família e adoramos estar rodeados por quem amamos. Mas moramos longe de todos, inclusive dos nossos pais. Logo, o contato do nosso filho com os avós não é diário.

Tem dias que é bem difícil não ter os avós por perto, não ter com quem contar, com quem dividir as dores e as alegrias da maternidade. Alguns dias sentimos mais que outros, como por exemplo a primeira festa junina do nosso filho. Infelizmente nenhum deles pode estar aqui, e adoraríamos que eles estivessem. Mas a escolha de morar longe foi nossa, e cada decisão vem acompanhada de algumas renúncias.


Para driblar a falta que os netos sentem de ter os avós por perto, seguem algumas dicas:

- Deixe que os filhos tenham uma presença constante – mesmo que virtualmente – com os avós, assim eles criarão laços e as brincadeiras deles, mesmo online;

- Quando a barra apertar, peça ajuda! No meu caso, pedi ajuda nas férias, e foi muito bom! As avós puderam passar um tempo aqui e colaborar, dando atenção ao nosso filho enquanto trabalhávamos;

- Quando os avós estiverem com as crianças, façam cada momento valer a pena: esqueça televisão, celular, deite no chão, brinque de esconde-esconde, deixe que se sujem de lama... Enfim, deixe os avós voltarem a ser crianças com o neto, esses momentos serão inesquecíveis, para ambas as partes!

- Sabemos que muitas coisas eram diferentes no tempo em que nós, pais, éramos crianças, e nossa própria relação com nossos avós. Mas uma coisa é certa: nada mais fácil (e produtivo) do que respeitar as decisões da família.


Morar sem os avós por perto pode ser um desafio a ser superado. Não ter rede de apoio torna os nossos filhos ainda mais grudados conosco, principalmente quando são mais novos. Com o passar do tempo eles vão entendendo o carinho dedicado à eles, mesmo que demorem mais tempo pra se ver e a relação se desenvolve naturalmente. Enfim, só me resta desejar um Feliz Dia dos Avós para esses seres iluminados, com colorem a vida dos nossos filhos e nos ajudam sempre nos momentos em que mais precisamos.




mamâe e bebê

Sou a mãe do Nicolas, não tem nada que me descreva melhor do que isso. Sou também fisioterapeuta, especialista em neurologia e instrutora de pilates.

Hoje em dia sou mãe em período integral, tenho ele comigo 24 horas por dia, ele me acompanha em todas as minhas outras funções, que são administrar um estúdio de pilates, o Studio KaPri e ser fisioterapeuta, minha outra grande paixão. 

© Copyright – 2018 Materhood.     Todos os direitos reservados.