Parto natural - relato de caso

Atualizado: 3 de Out de 2018

Oi gente, hoje vamos dividir com vocês a história do nascimento da Isis, filha da Jordana, que nos enviou seu relato de parto.

No dia 11/09/2018 ela completou 40 semanas de gestação, passou por consulta médica e estava tudo dentro do esperado, fluxo sanguíneo normal, quantidade de líquido aminiótico boa também e posição cefálica. Só aguardar a hora da Isis.

Foi orientada a ir ao 24 horas ou ao consultório caso às contrações viessem a cada 5 min com uma duração de 1 min cada, caso a bolsa rompesse ou se tivesse algum sangramento.

No dia seguinte, após o almoço, a Jordana começou a sentir contrações a cada 15 minutos, tomou um banho e as contrações passaram, porém as 18:00 voltaram novamente, mantendo-se com contrações até as 22:00 mas sem sequência e sem ritmo. Nesse dia o tampão saiu.

Do dia 12 para o dia 13, a Jordana dormiu super bem e no dia seguinte passou o dia todo sonolenta e frustada, já queria que a Isis tivesse nascido.

Dia 14/09 as 3:45 da manhã, acordou com contrações que foram diminuindo gradativamente seu intervalo, iniciaram de 15 em 15 minutos, diminuiram pra 10, 8, 7 minutos, nessa hora, ela foi tomar um banho e seguia com contrações ritmadas.

Foi ao 24 horas as 7 da manhã, chegando lá ouviram os batimentos cardíacos da bebê, fizeram uma cardiotocografia e um exame de toque, ela possuía apenas 1 cm de dilatação. Foi orientada a voltar pra casa e esperar porque as contrações ainda estavam muito espaçadas.

Levou o exame ao seu médico, que a orientou a ficar em casa o máximo que aguentasse e voltar ao consultório quando as contrações ritmassem a cada 5 minutos.

As contrações seguiram intensas mas ela ainda nos conta que conseguiu almoçar e ir ao banheiro (numero 2).

Foi ao consultório as 16:00 já com as contrações um pouco mais fortes, ritmadas e com média de 4 contrações por min. Seu médico fez um US e um exame de toque, que segundo a Jordana, doeu bastante, ela estava com apenas 3 cm de dilatação, uma evolução considerada bem lenta desde as 7 da manhã.

Seu médico então lhe deu duas alternativas, ir pra casa e esperar evoluir ou internar e esperar evoluir no hospital, caso não evoluísse no fim da noite entraria com indução (ocitocina no caso). Mesmo dando as duas alternativas ele aconselhou internação! Aqui a Jordana ainda não sabia se toparia uma indução mas de qualquer forma achou mais prudente ficar no hospital amparada pela equipe médica.

Internou as 17:30. Fez outro cardiotoco, e como ela nos conta as contrações se intensificaram e ficaram mais próximas umas das outras após o toque do médico, nesse momento ela já sentia muita dor, principalmente na lombar.


19:30 outro cardiotoco, esse exame dura 20 min, Jordana conseguiu termina-lo com muita luta, faltando 8 min vomitou tamanha era sua dor, suas contrações estavam com 90% de efetividade. Durante todo esse período, sua mãe e seu marido se revezavam com massagens na sua lombar, segundo ela, alivia bastante ter alguém colocando a mão pra você no lugar onde está doendo! Aqui Jordana optou por ir para o banho quente, aliviar um pouco as dores, e como ela mesma nos contou, a partir daqui ela já não tinha mais referência de tempo. Ainda no banho a enfermeira obstétrica observou um sangramento compatível com a evolução do trabalho de parto, já não era possível ficar em pé, Jordana optou por ir pra bola, como ela mesma nos escreveu, "aqui foi que o bicho pegou".

A enfermeira ensinou uma manobra para que sua mãe e seu marido realizassem junto com as contrações, aproximando seus quadris e fizessem massagem entre as contrações.

Sua mãe foi fundamental nesse processo, pois como já tinha tido parto normal, sabia como eram as dores.

"Comecei então a sentir uma vontade muito grande de fazer força durante algumas contrações ( dói de mais isso - mas por maior que seja a dor, fazer força junto diminui a dor - se é que pode se considerar diminuir a dor nesse caso), eu fiz xixi duas vezes durante essas contrações (elas são involuntárias e a vontade de fazer força também é involuntária mas fazer força junto é melhor do que deixar ela vir sozinha - acreditem em mim faz força junto é melhor)" - Jordana

A enfermeira fez exame de toque e deu a melhor noticia do mundo, a Jordana estava com dilatação completa e sua filha iria nascer. Foi transferida para uma maca e a caminho pra sala de parto sua bolsa rompeu. Seu médico chegou e ela se encontrava no período expulso da sua filha, segundo ela, nessa hora doi, mas bem menos do que quando estava na bola.

"A Ísis nasceu!!!! 00:07 15/09/2018 É um alívio imensooooo!!! Nunca disse tanto Obrigada em tão pouco tempo! Que vontade de abraçar todo mundo que estava ali naquela sala comigo. Ela veio direto pro meu colo!

O médico esperou o cordão parar de pulsar enquanto eu fazia nosso primeiro contato, assim que parou de pulsar o Daniel (marido) cortou o cordão! O Pediatra fez a avaliação inicial da Isis (enquanto isso meu médico dava os pontinhos da Episiotomia que teve que ser feito por conta que comei a lacerar (rasgar o períneo durante a fase expulsiva).

Perguntei ao pediatra se ela poderia mamar ainda hoje (eu não me lembro de perguntar - vi no vídeo depois). Ela saiu da mão do pediatra direto pro meu peito, nessa hora foi que eu chorei de emoção, nascia minha filha! Ela mamou o quanto quis!

Quando foi pro berçário eu fui tomar banho auxiliada pela enfermeira.

Fui pro quarto as 01:30 da manhã!

Com a Ísis já dormindo no bercinho ao meu lado! Óbvio que não consegui pregar o olho! A adrenalina era tanta! Passamos a noite em claro eu, o Daniel e minha mãe!"




Que lindo parto Jordana, obrigada por dividir conosco o momento mais especial da sua vida. E por ai? como foi seu parto?


Envie suas histórias, com certeza ela poderá ajudar outras pessoas

mamâe e bebê

Sou a mãe do Nicolas, não tem nada que me descreva melhor do que isso. Sou também fisioterapeuta, especialista em neurologia e instrutora de pilates.

Hoje em dia sou mãe em período integral, tenho ele comigo 24 horas por dia, ele me acompanha em todas as minhas outras funções, que são administrar um estúdio de pilates, o Studio KaPri e ser fisioterapeuta, minha outra grande paixão. 

© Copyright – 2018 Materhood.     Todos os direitos reservados.