Tadinho do pai, será?

Uma das coisas que mais me incomodava, quando tive meu primeiro filho, era das pessoas falando "tadinho do pai, tá cansado", mas ninguém NUNCA, nunquinha da silva, virava pra mim e falava a mesma coisa, mesmo sendo eu que acordava de madrugada, que dava tetê, uma, duas, três, quatro, cinco vezes a noite.

Infelizmente nós viemos de uma sociedade machista, que para a maioria das pessoas, eu só estava sendo mãe, ou em outras palavras, não estava fazendo nada de mais.

Recentemente descobri que não importa o que os outros acham, se eles pensam que eu preciso ou não descansar, o que importa sou eu e o que eu penso e preciso. Que eu não posso esperar que o outro queira e me dê condições para o meu descanso, que eu preciso achar as condições.

Confesso ser muiiiito difícil pra mim, abrir mão do controle, pedir ajuda, mas estou aprendendo e evoluindo nesse quesito a cada dia.

Antes, além das outras pessoas, eu também pensava que era a única responsável e que só comigo meu bebê ficaria bem, mesmo tendo um marido super presente e participativo. Nunca foi ele que me disse que eu precisava dar conta de tudo, eu que simplesmente queria dar, mas não tem como, em algum momento isso não funciona, fica pesado demais e aí é necessário distribuir. Distribuir tarefas, funções, madrugadas, trabalho.


Você é a única responsável pelo seu bem estar, não espere alguém estender a mão e perguntar se você precisa de ajuda, peça ajuda!! Deixe as crianças com alguém de confiança e que saiba que irá cuidar com amor e abra mão do controle, vá descansar, se cuidar, passear, beber, qualquer coisa que faça sentido. Lembre que você é mãe, mas também precisa de cuidados e descanso.


Sempre falo aqui sobre termos momentos de autocuidado e descanso, vocês tem tentado?


Beijos,

Pri.